Com a chegada do inverno se aproximando, é preciso ainda mais atenção com a saúde do coração, já que segundo dados de um estudo publicado pelo British Medical Journal, o número de infarto durante os dias mais frios aumenta em até 30%.

De acordo com o cirurgião cardíaco de São Paulo, Marcelo Sobral, quando os receptores nervosos da pele sentem o frio, eles estimulam a liberação de catecolaminas, substâncias que, dentre outros efeitos, contraem os vasos sanguíneos. Com isso, causam-se vasoespasmos, ou seja, espasmos dos vasos sanguíneos, resultando em uma hiperagregação plaquetária, entre outras palavras, um coágulo, o que impede a passagem de sangue dessa artéria, desenvolvendo um infarto. “Além da possibilidade de formação de coágulos, a contração das artérias também faz a pressão sanguínea aumentar, o que pode romper as placas de gordura no interior das artérias e causar um infarto”, complementa Marcelo.

Além disso, outro estudo, apresentado no Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, em 2015, descobriu que uma queda de 10° graus na temperatura está fortemente associada a um aumento de 7% no risco da forma mais grave de infarto.

De acordo com Marcelo as pessoas que já têm maior risco de desenvolver doenças coronárias, como hipertensos, pessoas com colesterol alto, diabéticos, obesos e sedentários, devem redobrar os cuidados com a saúde durante os dias mais frios, já que são propensos a sofrerem as consequências do frio para o coração.

Dentre as recomendações comuns para uma vida saudável, como alimentação balanceada e exercícios físicos, Marcelo faz um alerta sobre a importância de se agasalhar bem e consumir chás e até mesmo uma taça de vinho para controlar a temperatura no organismo em dias muito frios.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

Contato +55 11 3385-6056